Clipping

Mini usina é viável para grupo de produtores em linhas diferenciadas ou etanol para consumo próprio

O segmento das usinas de pequeno porte pode ser uma opção rentável para cooperados e consorciados, como conta Dirceu Martins de Azevedo, consultor da E-usinas. Para os pequenos produtores, o benefício vem diretamente ao encontro de um momento no qual muitas das grandes usinas estão fechadas, encontrando uma forma de consumir a cana de açúcar que seria entregue.

Com uma capacidade de moer até 10 mil litros por dia, a empresa pode ser rotulada como uma microdestilaria. Passando deste número e alcançando até 60 mil litros por dia, ela é tida como uma mini usina.

Independentemente da operação de grandes usinas ou não, os produtos que são produzidos pelas pequenas possuem grande demanda no mercado, já que, a partir da cana, é possível obter mais de 30 produtos além do etanol e do açúcar. Assim, nichos de mercado como o açúcar mascavo, o melado de cana, o álcool industrial e para cosméticos, entre outros produtos, podem ser explorados neste trabalho.

Uma mini usina também conta com uma operação completa de processamento da cana de açúcar, que vai desde a sua recepção até o armazenamento e a distribuição. Cada estado possui programas específicos que os produtores podem acessar para financiar estes projetos.

Azevedo destaca ainda grupos ligados a outras atividades, que podem produzir etanol para consumo próprio, bem como outras possibilidades, como o açúcar de beterraba e o etanol de milho - lembrando, neste último caso, que a utilização da biomassa da cana de açúcar para essa produção é a forma mais viável.


Fonte: Notícias Agrícolas