Clipping

Mix maior de etanol no Brasil continua impulsionando preços do açúcar no mercado externo

Os preços do açúcar subiram mais uma vez no mercado internacional alavancados, de acordo o jornal Valor Econômico, pelo percentual de cana destinado à produção de etanol na região Centro-Sul do Brasil, em detrimento do açúcar. Ontem (30), o vencimento março/18 da bolsa de Nova York subiu 10 pontos, firmando negócios em 14.73 centavos de dólar por libra-peso. Na tela maio/18, a alta foi de 12 pontos, com contratos fechados em 14.79. Os demais negócios subiram entre nove e 13 pontos.
 
"Segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), 56,24% do volume de cana colhido na primeira quinzena de outubro foi destinado à produção de etanol, contra 50% há um ano e 53% na quinzena anterior. Assim, a produção de açúcar no período recuou 12,3% na comparação anual", informou a nota do Valor de hoje (31).
 
Em Londres, a tela dezembro/17 subiu 2,60 dólares, com negócios firmados em US$ 383,50 a tonelada. No lote março/18, a commodity foi comercializada em US$ 383,70 a tonelada, alta de 2,20 dólares. As demais cotações tiveram valorização entre 1,80 e 2,20 dólares.
 
Mercado interno
No Brasil, o preço do açúcar continua sua longa sequência de alta, conforme apontou o indicador do Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos do tipo cristal subiu 0,09%, com valor firmado em R$ 57,14. 
 
Etanol
O etanol hidratado, vendido pelas usinas paulistas também segue em alta. O biocombustível foi negociado em R$ 1.652,00 o metro cúbico, valorização de 0,09% no comparativo com a véspera.