Clipping

Moagem da cana-de-açúcar tem alta de 88% a 2 semanas do fim da safra 2019/2020 na região Centro-Sul

Postado em 30 de Março de 2020

Na primeira quinzena de março, Unica também registrou altas na produção de açúcar e de etanol, que respondeu por 90% do mix das usinas.

 

As usinas da região Centro-Sul do país processaram 88% mais cana-de-açúcar na primeira quinzena de março em relação ao mesmo período do ano passado, apontam dados recém-divulgados pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Segundo o levantamento, a moagem nas unidades que concentram em torno de 90% da produção nacional foi de 2,99 milhões de toneladas, diante de 1,59 milhão registrado há um ano.

Parte desse saldo contabilizou a produção das usinas que anteciparam a colheita em março, como aconteceu na região de Ribeirão Preto (SP), um dos principais polos sucroenergéticos do país.

A safra 2020/2021 começa oficialmente no próximo mês. A expectativa é de que, até 15 de abril, 198 usinas estejam em operação, número 26% maior do que no mesmo período do ano passado.

"Há uma previsão na segunda quinzena de que no final de março tenhamos 79 unidades em produção, mas o grande número de empresas deve começar a safra na primeira quinzena de abril", afirma Antonio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da Unica.

O banco de dados também aponta altas expressivas na produção de etanol hidratado e de açúcar este mês. Com 90% do mix nas usinas, o combustível teve alta de 67% em comparação com a parcial na safra passada, com 243,76 milhões de litros produzidos, volume considerado recorde .

Com apenas 10% dos mix no período, o açúcar totalizou 40,83 mil toneladas, número 349% maior que na primeira quinzena de março de 2019.

Acumulado da safra

Às vésperas do fim do ciclo 2019/2020, a safra atual acumula alta de 2,98% na cana processada, com um total de 582,92 milhões de toneladas na região Centro-Sul, com um mix predominante para o etanol, em 65,6%.

Com 32,79 bilhões de litros, o volume de combustível processado pelas usinas já é recorde e passa em 2,20 bilhões, ou 7,29%, o produzido no ciclo anterior.

Especialistas do setor sucroenergético projetam para o término desta safra uma moagem total de 588,6 milhões de toneladas. Para o ciclo 2020/2021, que começa em abril, a projeção é de que esse volume tenha um incremento de até 3%, com uma moagem entre 596 milhões de toneladas e 604,5 milhões de toneladas da matéria-prima.

Problemas de produção em países da Ásia e da América Latina podem aumentar a participação do açúcar para até 41,5% do mix das usinas do Centro-Sul em relação ao etanol a partir deste ano, com 32,5 milhões de toneladas.

Mesmo com um cenário de pandemia do novo coronavírus, as empresas têm conseguido operar normalmente, diz Rodrigues.

"Nossa expectativa é de que não tenhamos problemas. O canavial está pronto, as máquinas estão prontas, as indústrias estão prontas. Não havendo nenhum impedimento legal para que se inicie essa safra, a nossa expectativa é que vamos ter uma boa safra", afirma o diretor técnico da Unica.


Fonte: Portal G1