Clipping

Nesta safra, Brasil voltará a liderar mercado internacional de açúcar

Postado em 17 de Abril de 2020

Queda no preço do etanol leva o setor a direcionar mais cana para a produção de açúcar

O Brasil, maior produtor mundial de cana-de-açúcar, por muitos anos também liderou o mercado internacional da commodity. No entanto, nos últimos dois anos, se manteve como maior produtor de cana, mas perdeu essa liderança no mercado internacional de açúcar para a Índia. Isso ocorreu porque a maior parte da matéria-prima foi direcionada para a produção de etanol, em decorrência da maior remuneração do biocombustível e queda do valor internacional do açúcar.

De acordo com a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), a região Centro-Sul do Brasil concluiu a safra 2019/2020 com 590,36 milhões de toneladas de cana-de-açúcar processadas, crescimento de quase 3% sobre as 573,17 milhões de toneladas registradas na temporada 2018/2019. Somente 34,32% dessa produção destinou-se à produção de açúcar, o menor percentual dos últimos 22 anos. Com isso, a fabricação da commodity alcançou 26,76 milhões de toneladas, similar às 26,51 milhões de toneladas na safra 2018/2019.

Já a produção de etanol foi a maior da história do setor sucroenergético: 33,26 bilhões de litros – 9,95 bilhões de litros de etanol anidro e 23,31 bilhões de litros de etanol hidratado. O recorde anterior, observado na última safra, era de 30,95 bilhões de litros. Este volume incorpora a produção de 1,62 bilhão de litros de etanol de milho, valor que também é o maior já registrado. Na safra 2018/2019, essa cifra alcançou 791,43 milhões de litros.

Mas esta safra 2020/21, que iniciou na região Centro-Sul em 1º de abril, mostra que o setor vai mudar seu mix de produção, direcionando uma quantidade maior de cana para a produção de açúcar. Resultado da maior valorização do açúcar e da desvalorização do etanol.

De acordo com Jacyr da Costa Filho, Presidente do Cosag - Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp e Membro do Comitê Executivo do Grupo Tereos, com o maior direcionamento da cana brasileira para a produção de açúcar, nesta safra o país volta a liderar o mercado mundial.


Fonte: CanaOnline