Clipping

Nos últimos quinze dias de outubro, 69,82% da cana do Centro-Sul foi direcionada à produção de etanol

Na mesma quinzena de 2017, 57,15% da região Centro-Sul foi direcionada para a produção de etanol

De acordo com o relatório de safra da região Centro-Sul, correspondente a segunda quinzena de outubro e divulgado nesta segunda-feira, 12 de novembro, pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), a produção de açúcar somou 957,66 mil toneladas na segunda metade de outubro, com expressiva queda de 49,35% sobre o resultado em igual período da safra 2017/2018. Por sua vez, a fabricação de etanol reduziu apenas 11,16%, alcançando 1,40 bilhão de litros, sendo que 405,08 milhões correspondem ao anidro e 995,18 milhões ao hidratado.

Esses números retratam o maior direcionamento da matéria-prima processada para a fabricação do etanol. Nos últimos quinze dias de outubro, o indicador registrou 69,82% de cana direcionada à produção do biocombustível. Esse percentual é significativamente superior aos 57,15% observados na mesma quinzena de 2017.

O diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, acrescenta: "Os dados reforçam a tendência observada ao longo de todo ciclo em que as empresas indicaram a preferência pela fabricação de etanol. Caso as usinas não tivessem alterado o mix de produção, teríamos registrado até agora uma produção de açúcar 7,5 milhões de toneladas superior àquela efetivamente apurada".

Nesse período, a produção de etanol de milho totalizou 30,57 milhões litros. No acumulado desde o início da safra foram fabricados 367,60 milhões de litros, incremento de 78,29% em relação ao volume produzido em igual período do ano passado.

Desde o início da safra até 1º de novembro, a produção de açúcar atingiu 24,35 milhões de toneladas frente as 33,22 milhões no mesmo período de 2017. No caso do etanol, a produção acumulada alcançou 27,26 bilhões de litros, dos quais 8,40 bilhões de anidro e 18,86 bilhões de hidratado. Este último apresenta crescimento de 45,96% em relação ao acumulado da safra 2017/2018.

"Apesar da redução esperada para a moagem, o aumento na qualidade da cana e o menor direcionamento da matéria-prima para açúcar irão permitir uma produção elevada de etanol, garantindo o abastecimento em todo período de entressafra", explicou Padua.


Fonte: CanaOnline