Clipping

O que a Adecoagro faz para reduzir o pisoteio na linha de cana

Postado em 18 de Agosto de 2020

Empresa adota conceito inovador de sistematização de solo e o custo da reforma diminui em 42%

O pisoteio das linhas de cana ainda é um dos principais fatores redutores de produtividade no setor sucroenergético nacional. Uma colheita de má qualidade e o trânsito de equipamentos sobre a lavoura abala demasiadamente as soqueiras e chega a arrancar rizomas. Consequência direta são falhas na brotação e menos cana na safra seguinte.

Desde 2015, a Adecoagro, uma das maiores empresas agropecuárias da América do Sul, vem trabalhando nesta frente, tendo adotado um projeto de sistematização de solo bastante inovador no meio canavieiro. Trata-se do Escoamento Superficial Difuso (ESD), um conceito que, ao eliminar o terraceamento e as curvas de nível e planejar adequadamente o manejo da enxurrada, evita as perdas de solo e proporciona linhas de plantio mais regulares e longas, acarretando redução do número de manobras de máquinas nos talhões.

O sistema é visto como uma quebra de paradigmas no segmento. Uma forma totalmente nova de conservação de solo que, ao reduzir as manobras, diminui o pisoteio e otimiza o rendimento em todas as operações, do plantio a colheita.

Segundo profissional da empresa, o custo da sistematização aumenta em 4% em relação ao convencional. No entanto, o custo da reforma diminui em 42%. Atualmente, esse sistema está implantado em quase três mil hectares da Adecoagro. O objetivo é expandir para mais de 18 mil hectares.

 


Fonte: CanaOnline