Clipping

O setor volta a dar sinais de recuperação. Mas é preciso reduzir o custo de produção

Postado em 16 de Janeiro de 2020

Depois de uma longa e árdua crise, o setor sucroenergético nacional volta a dar sinais de recuperação. Essa é a visão compartilhada pelo engenheiro agrônomo Dib Nunes Jr., presidente do Grupo IDEA. Segundo ele, um dos fatores que mais afetou a cadeia produtiva da cana-de-açúcar foi o aumento dos custos de produção.

Para superar esse difícil cenário, Dib recomenda uma “caça às bruxas”, uma ação cujo intuito principal será descobrir onde estão as perdas e os ganhos. “Algumas das alternativas incluem renegociação de contratos, revisão de metas e orçamentos, redução dos custos fixos, capacitação de funcionários e melhoria da qualidade e eficácia operacional.”

Mas, sobretudo, o consultor ressalta a importância da introdução de novas tecnologias, pois o fator ATR – açúcar total recuperável – é um dos principais pilares da lucratividade. “No momento, a principal alavanca de produtividade é a introdução de variedades modernas, mais produtivas e adaptadas a diversas regiões. Além disso, temos observado grandes ganhos decorrentes da adoção de hormônios, estimulantes de crescimento, adubos foliares, fungicidas e de novos equipamentos, como incorporadores de palha, que estão devolvendo a vida ao solo.”

 


Fonte: CanaOnline