Clipping

O voo de galinha da Bravia Bioenergia

Após venda, ex-destilaria TGM recebe o nome de Bravia Bioenergia, opera por uma safra e para novamente

Nos meados de julho de 2017, a população de Cerqueira César, no interior paulista estava em festa, é que voltava a moer a Destilaria TGM, agora com o nome de Bravia Bioenergia. A unidade,com capacidade de moagem para 2 milhões de toneladas de cana, havia parado as operações em 2013. Nascida na época da expansão canavieira, ocorrida no início dos anos 2000, aDestilariaTGM foi uma das vítimas da crise do setorque fechou ou levou à recuperação judicial quase 150 usinas.

Adquirida por dois empresários, a unidade pertencente a empresa de turbinas TGM, de Sertãozinho, SP, recebeu investimentos, contratou mais de 200 funcionários e iniciou as atividades moendo cana de terceiros, e complano para ter cana própria a partir de 2019. Com a Bravia, renascia a esperança de maior geração de empregos, renda e mais uma opção para o produtor de cana entregar a matéria-prima.

Infelizmente, o sonho durou pouco, a Bravia não tem honrado os pagamentos, ficou sem a cana dos terceiros e também sem cana própria, pois não houve investimento no canavial. Segundo fontes, possivelmente a TGM ingressará com a retomada do ativo, mas não tem planos de colocar a usina em operação.


Fonte: CanaOnline