Clipping

Para consultor: "não fixar preços (do açúcar) agora pode ser um enorme erro para as usinas"

Postado em 10 de Agosto de 2020

O mercado futuro do açúcar nas duas principais bolsas mundiais da commodity, Nova York (açúcar bruto) e Londres (açúcar branco), encerrou a última semana em baixa. Na sexta-feira (7), o vencimento outubro/20 do açúcar na Ice Futures fechou em 12,67 centavos de dólar por libra-peso, queda de 27 pontos no comparativo com a véspera. Já o vencimento março/21 derreteu 25 pontos, com negócios firmados em 13,25 cts/lb. Os demais vencimentos se desvalorizaram entre 14 e 22 pontos.

"O mercado de açúcar em NY fechou a semana praticamente inalterado para os dois primeiros vencimentos (...) O que fez a diferença foi o real que desvalorizou cerca de 4% na semana ante o dólar melhorando os preços em cerca de 65 reais por tonelada para 20/21, 58 reais por tonelada para 21/22 e R$ 44 por tonelada para 22/23", destacou Arnaldo Luiz Corrêa, da Archer Consulting.

Em Londres o açúcar branco também fechou em queda em todos os vencimentos. Os lotes com vencimento em outubro/20 foram negociados em US$ 372,50 a tonelada, desvalorização de 5,40 dólares no comparativo com a véspera. Já o lote para dezembro/20 teve queda de 4,90 dólares, com a tonelada negociada em US$ 372,20. As demais telas retraíram entre 4,50 e 4,90 dólares, cada.

Ainda segundo Arnaldo Luiz Corrêa, "os valores em reais por tonelada obtidos agora pelas usinas nas fixações de preço do açúcar para a safra 2022/2023 numa eventual apreciação da moeda brasileira, seguindo a curva do boletim Focus, só teriam equivalência em reais por tonelada, tudo o mais mantido inalterado, se NY subisse 120 pontos. Não fixar preços agora pode ser um enorme erro para as usinas".

O consultor explica que "para que os preços em reais por tonelada obtidos agora fossem considerados ruins, o mercado precisaria sofrer uma tempestade perfeita que empurrasse o preço do açúcar em NY para níveis bem mais altos, isto é, fatores exógenos que fogem do nosso escopo nesse momento e dos quais não temos como nos proteger".

Mercado doméstico

No mercado interno os preços do açúcar fecharam inalterados na última sexta-feira (7) pelo indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos do tipo cristal foi negociada em R$ 79,18, mesma cotação da véspera.

 


Fonte: Agência UDOP de Notícias