Clipping

Parceria brasileira e israelense testa drones de pulverização com capacidade para operar de modo coletivo

Postado em 26 de Junho de 2019

Teste iniciados nesse mês no Rio Grande do Sul devem levar o País a contar, até o final do ano, com tecnologia para o uso de drones de pulverização com voos automáticos no sistema swarming (do inglês voo em enxames ou "enxameamento"). O objetivo é otimizar o trato de lavouras com aparelhos pequenos – dentro do limite de 25 quilos previstos na legislação brasileira para veículos aéreos não-tripulados (vants) sem a exigência de certificação do aparelho e do piloto.

A ideia está sendo viabilizada com a parceria entre a empresa brasileira SkyDrones e a israelense SkyX. A primeira, com sede em Porto Alegre e especializada em soluções com aparelhos não-tripulados tanto para captação e processamento de imagem para diagnósticos em lavouras e diversas outras frentes de atuação, além de equipamentos para pulverização. Já a parceira estrangeira, com sede em Ramat Hasharon (a 14 quilômetro de Tel Aviv), está entrando com a tecnologia de voo em grupo, com os drones “conversando” entre si, de modo que um complemente o outro na operação e contando ainda com sistema que previne colisões entre os aparelhos ou com obstáculos.

Ou seja, no caso das pulverizações, a SkyDrones entra com os drones de imagens (que avaliam as culturas e geram os mapas precisos sobre como está a lavoura e os locais com plantas daninhas) e os equipamentos de pulverização, onde se insere o mapa do diagnóstico e o equipamento decola executa a operação sozinho – mas com o operador acompanhando em tempo real e podendo intervir em caso de problemas, como determina a legislação brasileira. Já a SkyX possui algoritmos patenteados para que dois ou mais aparelhos decolem, também com planejamento otimizado pré-voo, pilotagem automatizada e análise de dados pós-voo.

Voos práticos

Os primeiros testes práticos ocorreram no último dia 13, no campo de testes da SkyDrones em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, e foram considerados um sucesso. “Antes desse voo, engenheiros da SkyX trabalharam remotamente por duas semanas com os engenheiros da SkyDrones para preparar a integração de nossos drones com o sistema Israelense”, explica o CEO da empresa brasileira, Ulf Bogdawa. Segundo ele, o próximo passo agora será o teste em aplicações reais para identificar pontos de melhoria no sistema. “Nossa intenção é poder oferecer essa tecnologia comercialmente a partir de setembro, já na segunda safra brasileira”, completa.

"Estamos profundamente impressionados com o profissionalismo da SkyDrones e esperamos alavancar nossa sinergia para oportunidades tangíveis nos mercados da América do Norte, Central e do Sul”, ressalta o CEO da SkyX, Eylon Sorek, indicando que a parceria entre as duas empresas deve se expandir para o continente. “Apresentamos uma solução que vai mudar drasticamente o conceito de pulverização agrícola e estabelecerá novos padrões de segurança e precisão nesse tipo de operação”, assinala Sorek.

Apresentações ao público

A tecnologia vai ser apresentada pela primeira vez ao público brasileiro no próximo mês, em São Paulo. Será durante o Congresso da Aviação Agrícola do Brasil, que ocorrerá de 30 de julho a 1º de agosto em Sertãozinho (na Região Metropolitana de Ribeirão Preto). O evento promovido pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) é o maior do País sobre soluções áreas para lavouras e terá uma edição com recorde de expositores este ano – 120 estandes, de fabricantes de aviões e drones a tecnologias embarcadas diversas.

Em novembro, será a vez da feira em Israel, com o sistema sendo exposto na 8ª Conferência Internacional sobre Veículos não-Tripulados (UVID Conference 2019), em Tel Aviv.

Por Castor Becker Júnior

 


Fonte: Grupo Cultivar