Clipping

Perspectivas positivas abrem caminho para novos equipamentos

O sulcador com dispositivo destorroador e o distribuidor de adubo e calcário estão entre os lançamentos, para 2018, da DMB Máquinas e Implementos Agrícolas

“As perspectivas para o setor sucroenergético brasileiro são positivas. As usinas e produtores com recursos, e os que têm condições de obter financiamento, estão investindo. Acreditam em um novo momento para a atividade. A aprovação do RenovaBio é algo que ajuda. Existe hoje a expectativa de uma produtividade crescente. Percebe-se inclusive uma animação para a adoção de cuidados com o canavial. Isto já é um bom indicativo”.

Essa análise é do engenheiro agrônomo Auro Pereira Pardinho, gerente de marketing da DMB Máquinas e Implementos Agrícolas, ao comentar os planos da empresa e as perspectivas do setor para 2018. Antenada nas necessidades do mercado, a DMB já programou o lançamento de pelo menos duas novidades para este ano.

Uma delas é o distribuidor de calcário e adubo, destinado para a aplicação de cálcio e magnésio, juntamente com outros fertilizantes, na cana soca. “Após bastante trabalho, tentativas e testes, a DMB desenvolveu um equipamento – com projeto em fase final de execução –, que faz a aplicação do calcário com eficiência”, afirma Auro Pardinho.

Outra novidade é o sulcador com o dispositivo destorroador, um acessório que será acoplado à Plantadora de Cana Picada - PCP 6000 Automatizada, considerada o carro-chefe do portfólio da empresa. Com lançamento para comercialização na Agrishow 2018, esse dispositivo reduzirá o número de operações de gradagens, reduzindo o custo do preparo do solo de maneira significativa.

“Todas essas melhorias trazem benefícios para o produtor e para a usina. Se não fosse assim, não haveria razão para serem lançadas. Quando esses equipamentos são disponibilizados para o mercado, é com a certeza que vão dar retorno ao que está sendo detectado. Trabalhamos cana 24 horas por dia. Com a nossa vivência, constatamos junto às usinas e produtores o que é preciso para resolver um problema e desenvolvemos uma solução baseada nisto”, diz.

Havendo condição e demanda, a empresa não descarta a incorporação de melhorias em outros equipamentos já existentes ou o lançamento de novos produtos ainda em 2018.

Apostando no crescimento do setor, a DMB tem se preparado para atender o aumento de demanda. “Mesmo nesses anos mais difíceis, a empresa investiu, na sua fábrica em Sertãozinho, em máquinas de corte a laser, robô para solda, enfim, em máquinas que aumentam o rendimento e a eficiência, possibilitando também um melhor aproveitamento de materiais. E isto resulta em um custo menor do implemento”, observa.

Houve ainda o investimento em gerador para que não ocorra o risco de interrupção da produção por falta de energia elétrica.

Os investimentos e as preocupações da DMB com o lançamento de novos produtos e a modernização da sua unidade industrial refletem também o atual momento do setor. Os ânimos estão melhores e existem algumas demonstrações de que o setor terá uma nova fase de crescimento, mas não haverá a mesma correria e euforia de anos atrás, quando aconteceu a expansão da atividade sucroenergética – avalia o gerente de marketing da empresa.

“Com o RenovaBio, a usina terá um indicativo da quantidade de etanol que vai produzir e vender, a um preço que não terá tanta interferência da oferta e demanda. O preço será mais estável. As usinas contarão também com outras fontes de renda, que são os créditos de descarbonização”, diz.

Apesar do RenovaBio vigorar a partir de 2020, é necessário começar, de imediato, a planejar o aumento da produção. “Um canavial novo vai iniciar a produção daqui a um ano e meio. Tem que começar já. O momento é agora. Não é preciso esperar 2020”, enfatiza.

Para Auro Pardinho, tudo leva a crer que não haverá mais os anos sombrios, como os recentes que foram marcados pelo fechamento de várias usinas. “Pelo contrário, as fechadas estão reabrindo. Duas unidades, que interromperam as atividades em Minas Gerais, que pertenciam ao Grupo João Lyra, foram arrematadas por grupos tradicionais, que vão investir, plantar cana e produzir. Acreditamos que outras reabrirão”, prevê.

Mudanças no cenário político brasileiro poderão atrair novamente investimentos externos – opina. “Haverá eleição neste ano. Investidores estrangeiros estão esperando algumas definições acontecerem, inclusive a eleição do próximo presidente da República. A expectativa é que o país tenha uma política mais séria, sem corrupção, sem as falcatruas que estão ocorrendo há muitos anos. Existem muitos grupos aguardando essas definições para voltarem a investir no Brasil”, comenta.

Melhoria de adubadores – Enquanto o setor sucroenergético brasileiro ensaia os seus próximos passos em direção à retomada do crescimento, algumas soluções desenvolvidas pelo setor de fornecimento de produtos e serviços contribuem, de maneira significativa, para a elevação da eficiência e redução de custos.

A DMB Máquinas e Implementos Agrícolas, por exemplo, tem trabalhado o aprimoramento dos adubadores, levando em consideração que o preço elevado do adubo representa uma parte significativa do custo total do processo de produção agrícola. “Devemos lançar, em 2018, um distribuidor de adubo e calcário. O mercado tem pedido um equipamento que aplique os dois produtos na soqueira”, revela Auro Pardinho.

Segundo ele, o uso do calcário não deve ficar restrito ao período de preparo do solo, quando ocorre a reforma do canavial. Esse produto é importante também para a cana soca devido ao fornecimento de cálcio e magnésio. O desafio tem sido, no entanto, desenvolver uma maneira eficiente de aplicar o calcário na soqueira. “Esse produto é um pó de granulometria e qualidade muito variáveis. Investimos em um equipamento que consegue distribuir o calcário de forma muito homogênea”, observa.

Com caixas separadas para os dois produtos, o distribuidor oferece a opção de enterrar o adubo ou de utilizá-lo em superfície. “O calcário vai ser sempre aplicado em superfície, esclarece. A caixa para aplicação do calcário é especial com um dispositivo que consegue distribuir o produto com total fluidez – detalha.

“A aplicação do calcário geralmente é muito complicada. Costuma aderir às paredes dos equipamentos, formando túneis que dificultam a saída do produto”, diz. A DMB conseguiu desenvolver um sistema que mantém a uniformidade do calcário no equipamento e possibilita a sua aplicação na lavoura de maneira eficiente e constante, sem falhas – afirma.

Dispositivo destorroador – Outro lançamento da DMB, programado para 2018, é o sulcador com dispositivo destorroador, um acessório da Plantadora de Cana Picada - PCP 6000 Automatizada, plantadora que já tem conquistado o mercado devido aos benefícios proporcionados para o plantio de cana, como a diminuição de mudas utilizadas nessa operação e a não necessidade do operador.

Com o novo sulcador, essa máquina da DMB reduzirá o custo do preparo do solo, que não precisará ser feito com o mesmo número de operações de gradagens – destaca Auro Pardinho. O dispositivo destorroador faz um preparo eficiente na linha de cana, eliminando ondulações no terreno e torrões.

“Serão operações bem menores em relação as que são realizadas normalmente. Haverá a vantagem de plantar cana em situação altamente benéfica para a brotação dos toletes. Nas operações convencionais, mesmo com várias gradagens, não há a garantia de um preparo de solo eficaz”, constata.

Ao invés da utilização de grades aradoras para a destruição de soqueiras e, posteriormente, grade intermediária e niveladora, ou mesmo aração, haverá necessidade apenas, em muitos casos, da eliminação da soqueira antes da entrada em operação da plantadora com o dispositivo destorroador. Em casos de compactação severa, eliminação da soqueira e passagem do subsolador, em seguida, o plantio com a PCP 6000 Automatizada equipada com o referido sulcador– detalha.

O refinamento do preparo solo na linha de cana, proporcionado pelo novo recurso da máquina automatizada, criará condições para a melhoria da brotação e redução de falhas no canavial. “Em consequência disto, acreditamos que vai ter uma diminuição da quantidade de mudas utilizadas no plantio, porque será dada uma condição muito propícia para a gema brotar. Toda gema viável colocada no solo vai brotar e virar cana”, ressalta.

O sulcador com dispositivo destorroador já estará disponível para comercialização na Agrishow 2018, que acontecerá em Ribeirão Preto, SP, de 30 de abril a 4 de maio. Até a realização desta feira de tecnologia agrícola, a DMB vai apresentar essa novidade em alguns eventos do setor, como no 20º Seminário de Mecanização dias 21 e 22 de Março em Ribeirão Preto/SP 

“Essa melhoria não vai encarecer a máquina. Vai ter um custo pequeno em relação aos benefícios que proporciona”, enfatiza. adquirido junto a plantadora ou separado, caso o produtor ou usina já possua uma Plantadora de Cana Picada – PCP 6000 Automatizada O dispositivo poderá ser adquirido junto a plantadora ou separado, caso o produtor ou a usina já possua a Plantada de Cana Picada – PCP 6000 Automatizada.


Fonte: CanaOnline