Clipping

Plano Safra: dinheiro oficial cobre apenas um terço da agricultura, diz Tereza Cristina

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, voltou a falar sobre o Plano Safra 2019/2020, que deve ser anunciado no próximo mês. Em evento que marcou a abertura oficial da colheita do café conilon no Espírito Santo, ela afirmou que os recursos oficiais do plano cobrem apenas um terço da agricultura e que segue em busca de outros tipos de recursos para produtores rurais.

“A nossa agricultura cresceu muito e o dinheiro para atender a toda essa gama de produtores rurais brasileiros é pequeno. Hoje, o dinheiro oficial cobre praticamente um terço da nossa agricultura. Mas, conversando muito com a equipe econômica, nós temos hoje pelo menos o que tivemos no ano passado. E ainda vamos perseguir outras ferramentas de crédito para aumentar esse cobertor e ele não ficar tão apertado”, disse.

A ministra aguarda aprovação do Congresso Nacional de cerca de R$ 10 bilhões para a subvenção ao crédito rural. O anúncio dos recursos, programado para acontecer em 12 de junho, pode estar ameaçado se os parlamentares não aprovarem um projeto de crédito adicional para o financiamento agrícola. Os valores estão previstos no projeto de crédito suplementar (PLN 4/2019) para o qual o Legislativo precisa dar seu aval.

No total, o Executivo pede autorização do Congresso para, com recursos oriundos de operações de crédito, quitar R$ 248,9 bilhões em despesas correntes. Os R$ 10 bilhões estão dentro desse montante.

Pequenos produtores

Durante evento no Espírito Santo, Tereza Cristina, destacou que os pequenos produtores terão prioridade nesta temporada. “Vocês não terão dificuldade de crédito, os pequenos produtores serão contemplados. No seguro rural, nós também conseguimos um ganho, aumentar a dimensão. É isso que o Ministério da Agricultura vem estudando e trabalhando firme em cima de melhorar o seguro rural. Estivemos com o presidente Jair Bolsonaro, com o ministro Paulo Guedes e com toda a equipe econômica e nós conseguimos R$ 1 bilhão de subvenção para o seguro, o que já melhora”, comentou.

 


Fonte: Canal Rural