Clipping

Plural aposta no Renovabio

Durante a abertura de safra do Centro-Sul de cana-de-açúcar em Ribeirão Preto, a SIAMIG conversou com o presidente da Plural (entidade que reúne 16 distribuidoras responsáveis por cerca de 70% do mercado nacional de combustíveis), Leonardo Gadotti.

SIAMIG - A diferenciação tributária do ICMS nos vários estados atrapalha a comercialização de combustíveis?

Leonardo Gadotti - Atrapalha muito, hoje você tem, praticamente, apenas cinco estados que consomem etanol e os carros flex rodam em todo país. Não tem etanol competitivo em outros em todos os estados, em função do tamanho do imposto estadual do ICMS, o que não acontece em São Paulo, em Minas, no Paraná. Todos têm o ICMS abaixo de 20%. É importante que essa transição aconteça também nos outros estados e que o Brasil reconheça os efeitos positivos do etanol como um produto nacional que gera empregos e renda. É importante esse ajuste para que o etanol seja competitivo com a gasolina em todos os estados da federação.

SIAMIG - Há uma certa cultura nacional para utilização da gasolina?

Leonardo Gadotti - Sim, há mesmo. A indústria tem que patrocinar um programa de esclarecimento, uma comunicação com a sociedade e com os consumidores. Às vezes, o consumidor associa o aumento do preço da gasolina ao aumento do preço do etanol também. Tem que colocar o produto disponível para o consumidor a um preço competitivo.

SIAMIG - O que o senhor acha do RenovaBio? As distribuidoras apostam nisso?

Leonardo Gadotti - Isso já está muito bem alinhado com todos os elos da cadeia de combustíveis como as distribuidoras. A questão agora é assegurar que seja muito bem implementado e que as alterações necessárias sejam feitas durante o seu exercício. Ele traz crescimento para o setor, investimento, melhoria na produtividade e competitividade.

 

 

 

 

 


Fonte: SIAMIG