Clipping

Preço baixo do açúcar já preocupa usina em PE que prioriza etanol

Usina no estado muda mix para etanol diante do preço baixo do açúcar
 
Os preços baixos do açúcar no mercado interno e mundial já afetam o planejamento e o mix produtivo das usinas pernambucanas nesta safra. Elas devem priorizar a fabricação de etanol, que está com preços iguais aos da última safra (R$ 1,75 por litro).

Já o saco de 50 quilos de açúcar caiu para R$ 68, ante os R$ 105 na safra 2016. A unidade Coaf/Crunagi, em Timbaúba, que, por exemplo, foi um dos primeiros parques fabris no estado a começar a moagem este ano, há 40 dias, tem segurado o início da produção do referido adoçante. O cenário tem atrasado fortemente o planejamento inicial da direção da usina que investiu mais na unidade este ano para lançar no mercado o açúcar com a marca Águazul. 

Com 25% da cana prevista para esta safra já esmagada, os números da produção na Coaf, mostram, até agora, a priorização para a fabricação do etanol. Até sexta-feira (6), já produziu 10 milhões de litros de etanol, metade do que estava previsto para produzir até janeiro do próximo ano. E nenhum sinal ainda da produção de açúcar no local devido os baixos preços. Alexandre Andrade Lima, presidente da cooperativa que gere a usina, revela que vai continuar priorizando o etanol. No próximo dia 16, ele voltará a analisar a situação. Até o momento, a usina moeu 150 mil toneladas de cana, das 500 mil previstas. 

Andrade Lima, que também preside a Associação dos Fornecedores de Cana de PE (AFCP), reclamou ainda do baixo preço pago pela matéria prima das usinas. A cana-de-açúcar baixou bastante em comparação à safra passada. Desceu de R$ 104 para os atuais R$ 82 por tonelada. "A situação está muito complicada, mesmo com todo o nosso esforço para manter os empregos na Zona da Mata, através do funcionamento da usina em Timbaúba, gerida por nossa cooperativa (Coaf)", desabafou.  
  
Apesar do desafio, a AFCP também é parceira em Pernambuco de uma outra cooperativa de canavieiros que reabriu há quatro safras a usina Pumaty, em Joaquim Nabuco, na Mata Sul. O parque é gerido por uma cooperativa (Agrocan) ligada ao Sindicato dos Cultivadores de Cana de PE (Sindicape), presidido por Gerson Carneiro Leão.

A unidade inclusive iniciou sua moagem na última sexta-feira (6). E contou com a presença de Lima, Gregório Maranhão, consultor do setor canavieiro, entre outros dirigentes do setor, inclusive líderes políticos, como o governador Paulo Camara. Na ocasião, Maranhão entregou ao governador uma placa da AFCP e do Sindicape pela concessão de um crédito presumido estadual maior, viabilizando a retomada de Cruangi e Pumaty pelas cooperativas. 


Fonte: ALEXANDRE ANDRADE LIMA, PRES COAF/AFCP