Clipping

Preço do açúcar deve seguir em alta no curto prazo, apontam operadores

Postado em 16 de Abril de 2021

Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE avançaram mais de 3% nesta quinta-feira, atingindo o maior nível em quase um mês, à medida que commodities e ações globais se estabilizam em um patamar elevado e investidores seguem preocupados com as perspectivas para a safra do Brasil.

O contrato maio do açúcar bruto fechou em alta de 0,52 centavo de dólar, ou 3,3%, a 16,38 centavos de dólar por libra-peso.

Operadores citaram crescentes expectativas de que a produção de açúcar do Brasil enfrente dificuldades para alcançar os 36 milhões de toneladas anteriormente projetados.

Eles disseram que o açúcar deve seguir em alta no curto prazo, embora as fortes exportações da Índia eventualmente limitem os ganhos.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos afirmou que a produção de açúcar da Tailândia deve avançar 40% em 2021/22 ante 2020/21, para 10,6 milhões de toneladas.

A ESIIC, compradora estatal do Egito, abriu uma licitação por 100 mil toneladas de açúcar bruto do Brasil.

O açúcar branco para maio avançou 14,00 dólares, ou 3,2%, para 455,60 dólares por tonelada no vencimento do contrato, com entregas estimadas em cerca de 132 mil toneladas.

Café
O contrato maio do café arábica fechou em alta de 0,6 centavo de dólar, ou 0,5%, a 1,327 dólar por libra-peso, engatando o quarto ganho consecutivo.

Investidores projetam um déficit cada vez maior de arábica, com o Brasil –maior produtor global de café– entrando em um ano de baixa em seu ciclo bienal de produção. O déficit tem ofuscado a pressão exercida pela valorização do real.

“Em nossa opinião, a queda na próxima safra do Brasil já está precificada, e a pressão provavelmente será sentida mais no mercado físico do que no mercado futuro, que possui um bom volume de estoques certificados”, disse o Rabobank em nota nesta semana.

A corretora e consultoria StoneX disse que espera uma recuperação de demanda nos Estados Unidos, maior mercado consumidor de café do mundo, citando o progresso na campanha de vacinação do país.

O café robusta para maio recuou 2 dólares, ou 0,1%, para 1.363 dólares a tonelada.

Os preços domésticos do café no Vietnã, maior produtor global de robusta, avançaram nesta semana.


Fonte: Reuters