Clipping

Preços de gasolina e diesel devem cair, mas não tanto, dizem analistas

Postado em 10 de Março de 2020

A queda na cotação do petróleo, em meio a uma guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia, pode deixar os combustíveis mais baratos nas bombas nas próximas semanas, segundo especialistas. Eles acreditam, porém, que a queda não deva ser tão intensa quanto a do petróleo nesta segunda-feira (9), e que ainda é cedo para dizer qual será o novo patamar de preço.

A Petrobras é a maior produtora de combustíveis no país, e sua política de preços tem como base o valor do petróleo no mercado internacional. Porém, a Petrobras determina o preço de venda nas refinarias. Os postos podem repassar ou não as altas e baixas de preço aos consumidores.

Queda pode acontecer, mas não tão grande

Sérgio Araujo, presidente executivo da Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis), afirma que o preço dos combustíveis pode cair na bomba, ainda que não de maneira tão intensa. Pode (cair o preço na bomba), sim, mas a gente não sabe quando e quanto. Tem que esperar. Temos que aguardar uma estabilização do preço no mercado. "Com essa crise entre a Rússia e a Arábia Saudita, é natural que tenha essa queda (no preço do petróleo), mas nós achamos que esse preço que tem hoje não é o real. Deverá, sim, acontecer uma redução do preço, mas só deve estar estabilizado alguns dias depois do evento. Deve haver uma estabilização em um patamar por ora desconhecido."

Petrobras diz que monitora mercado

A Petrobras afirmou que está monitorando o mercado e avalia que ainda é prematuro fazer projeções sobre eventuais impactos estruturais no mercado de óleo e gás associados à recente e abrupta variação nos preços do petróleo, dado que ainda não está claro nem a intensidade ou mesmo a persistência do choque nos preços.

Uma fonte da empresa, porém, afirmou à agência de notícias Reuters, em condição de anonimato, que deve haver queda de preços dos combustíveis nas refinarias da Petrobras. "Claro que teremos redução de preços (da gasolina e do diesel)", disse.

Por que petróleo caiu?

As cotações do petróleo caíram quase 30% nesta segunda-feira, a queda mais expressiva desde a guerra do Golfo em 1991.

O surto de coronavírus tem reduzido a procura por petróleo no mercado global, afetando o preço da matéria-prima. Na semana passada, a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), liderada pela Arábia Saudita, e seus sócios, liderados pela Rússia, não chegaram a um acordo para reduzir a produção e tentar evitar a queda nos preços do produto.

Em retaliação, a Arábia Saudita anunciou que deve aumentar a produção e oferecer descontos em relação ao preço do petróleo bruto em alguns mercados.

 


Fonte: UOL