Clipping

Preços do açúcar fecham mistos na bolsa de Nova York, commodity bateu 15 cts/lb na semana

Postado em 10 de Fevereiro de 2020

Os contratos futuros do açúcar fecharam mistos na bolsa de Nova York na última sexta-feira (7), com alta nas seis primeiras telas e baixa nas duas últimas, com vencimentos em julho e outubro/21. Nas telas de maior liquidez o açúcar bruto subiu entre 2 e 18 pontos. A maior valorização ocorreu na tela de março/20, com a commodity negociada em 14.92 centavos de dólar por libra-peso, alta de 18 pontos no comparativo com a véspera.

Para Arnaldo Luiz Corrêa, diretor da Archer Consulting, "no momento, apenas dois fantasmas podem apavorar os produtores brasileiros: o real se valorizando frente ao dólar e/ou a cotação do petróleo no mercado internacional trafegando abaixo dos 50 dólares por barril. Se combinados, o preço da gasolina ao consumidor despenca, o hidratado perde competitividade e as usinas voltam os olhos para a produção de açúcar. Como o real alcançou mínimas nominais históricas, achamos que esses dois pontos têm poucas chances, embora reconhecemos que são nesses eventos improváveis que os cisnes negros se empanturram. Traduzindo para a gestão de risco, comprar puts (opções de venda) fora do dinheiro para os vencimentos mais longos é uma estratégia interessante se você tem constantes pesadelos com cisnes negros bicando a sua cabeça".

Londres

No mercado londrino o açúcar branco fechou em alta em todos os vencimentos na última sexta-feira. O de maior liquidez, para março/20, fechou cotado a US$ 428,10 a tonelada, valorização de 14,10 dólares no comparativo com a véspera. A tela maio/20 subiu 8,50 dólares, sendo negociada em US$ 416,20 a tonelada. Nos demais vencimentos a commodity valorizou entre 80 cents e 5,10 dólares.

Mercado doméstico

No mercado interno, medido pelo Cepea/Esalq, da USP, o açúcar cristal fechou a sexta-feira (7) valorizado, com a saca de 50 quilos negociada em R$ 77,18, alta de 0,14% no comparativo com a véspera.

 

 


Fonte: Agência UDOP de Notícias