Clipping

Principais produtos agrícolas perdem receitas em 2019

Maior redução fica para a cana, que terá queda de 12,5%, aponta Ministério da Agricultura

Os produtos agrícolas brasileiros líderes em receitas não vão repetir, em 2019, o bom comportamento deste ano. Com isso, o valor total da produção das lavouras do país deverá cair.

Soja, cana-de-açúcar, milho e algodão devem somar receitas de R$ 275 bilhões dentro da porteira no próximo ano, 72% de todo o Valor Bruto de Produção das lavouras brasileiras do período.

Colheita de cana em usina em Sertãozinho (SP)Colheita de cana em usina em Sertãozinho (SP) – Joel Silva – 9.mai.17/olhapress

Os dados são do Ministério da Agricultura, que acompanha o desenvolvimento de 17 produtos agrícolas. Se confirmado, o valor de 2019 desses quatro itens ficará 5% inferior ao previsto para 2018.

Os produtores perdem receitas mesmo com aumento da produção. A queda se deve à previsão de preços menores para as negociações de 2019.

O ano de 2018 registrou elevação na produção e aumento nos preços para dos principais produtos agrícolas. O aumento de produção continuará no próximo ano, até com novos recordes, mas os preços devem perder força.

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) prevê safra estável de soja, mas aumento nas de milho e de algodão. Este último, apesar da produção maior, poderá ter redução de 7% nas receitas.

A maior queda entre os quatro principais produtos agrícolas será a da cana-de-açúcar, cujo recuo está previsto em 12,5% em 2019, conforme dados de José Gasques, responsável pelo acompanhamento do Ministério da Agricultura.

Os 17 produtos que constam na lista do ministério deverão somar R$ 384 bilhões no próximo ano, 2% menos do que neste.

Para Gasques, a pecuária mantém a receita total do campo no azul em 2019. O setor, que engloba as carnes bovina, suína e de frango, além de leite e de ovos, deverá atingir um Valor Bruto de Produção de R$ 200 bilhões, 8% mais do que o deste ano.

Com isso, o valor total da produção brasileira, incluindo lavoura e pecuária, sobe para R$ 585 bilhões em 2019, 1% mais do que a deste ano, apontam dados do Ministério da Agricultura.

 

Vaivém das Commodities. A coluna é assinada pelo jornalista Mauro Zafalon, formado em jornalismo e ciências sociais, com MBA em derivativos na USP.


Fonte: Folha de S. Paulo