Clipping

Projecto de fábrica de açúcar em Angola necessita de USD 25 milhões

Pelo menos 25 milhões de dólares norte-americanos é o valor do investimento necessário, em equipamentos, para que a Fazenda Agro-Industrial Vista Alegre, do grupo Alves & Irmãos, no Lobito, arranque com a montagem de uma fábrica de açúcar na província de Benguela, segundo o seu presidente, Victor Manuel Alves.

Ao falar hoje à Angop, o empresário admite que o projecto já foi submetido ao Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), para financiamento e prevê criar, de forma faseada, aproximadamente dois mil postos de trabalho, entre directos e indirectos, numa área de cinco mil hectares de cana na comuna do Cayave, município de Caimbambo, Sul da província de Benguela.

Victor Manuel Alves escusa-se, por enquanto, a revelar a capacidade de produção projectada, mas esclarece que os investimentos são para aquisição de máquinas como plantadoras automáticas na África do Sul, Brasil e China, para promover maior rentabilidade.

“Enquanto 300 homens plantam três hectares por dia, uma máquina automática planta 300 hectares por dia”, disse o empresário, lamentando que até o momento não tem dinheiro e que o banco alega falta de divisas, situação que impede o arranque do projecto.

“Mas faltam os apoios bancários. Eu não sou milionário. Sou um lutador. Já pedi aos bancos, mas também não têm”, queixou-se. E considera de seguida ser importante aumentar a oferta de emprego para travar o êxodo rural para as cidades, até porque há muita mão-de-obra na província de Benguela.

Com este projecto, continuou, a empresa com sede no Lobito assume-se como a primeira e única na província de Benguela com a possibilidade de fabricar açúcar para a indústria alimentar nacional, no intuito de reduzir as importações deste produto.

A energia para o funcionamento da futura fábrica de açucar não será problema, já que, segundo Victor Manuel Alves, a Fazenda Vista Alegre conta com uma mini hídrica, com capacidade de dois megawatts para alimentar a unidade fabril.

 

 

 

Victor Manuel Alves defende que os investimentos que o grupo empresarial Alves & Irmãos tem feito nos últimos anos visam sobretudo ajudar a economia nacional.

Neste momento, a Fazenda Vista Alegre, localizada na região de Cayave, tem umas 20 variedades de cana resultantes das experiências da ProCana, uma firma do Estado já extinta.

Outro desígnio da Fábrica Agro-industrial Vista Alegre é aumentar a produção de álcool etílico para cerca de 50 mil litros por dia, em 2019, contra os actuais 20 mil, no âmbito do processo de reestruturação da empresa e de melhorias da capacidade produtiva, de modo a ir ao encontro das exigências e necessidades do mercado.


Fonte: Agência Angola Press