Clipping

Qualidade da matéria-prima ainda impacta nos resultados da safra

Postado em 25 de Setembro de 2019

O volume processado de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiu 39,49 milhões de toneladas na primeira metade de setembro. Esse resultado representa um crescimento de 1,85% sobre a mesma quinzena de 2018, mas é 8,30 milhões de toneladas menor em relação aquele registrado nos últimos 15 dias de agosto de 2019 (38,77 milhões de toneladas).

No acumulado desde o início da atual safra, a moagem somou 437,75 milhões de toneladas, contra 432,51 milhões de toneladas apuradas no mesmo período do ano passado. Este resultado indica que 75% do ciclo agrícola corrente já está concluído.

Sobre a produtividade agrícola, esta totalizou 76,05 toneladas por hectare colhido em agosto, segundo o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC). Trata-se de um aumento de 8,43% sobre o mesmo mês de 2018. Entre abril até agosto, o indicador alcançou 81,44 toneladas por hectare, alta de 3,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A produção de etanol atingiu 2,37 bilhões de litros na primeira quinzena de setembro, sendo 683,79 milhões de litros de etanol anidro e 1,69 bilhão de litros de etanol hidratado. Por sua vez, a quantidade fabricada de açúcar alcançou 2,04 milhões de toneladas, queda de 5,61% sobre 2018.

No acumulado desde o início da safra, essa retração foi de 4,92%, com 20,01 milhões de toneladas de açúcar produzidas até 16 de setembro. No caso do etanol, o volume fabricado segue estável: 22,86 bilhões de litros na temporada passada, contra 22,98 bilhões de litros no ciclo corrente.

Refletindo esses números, 35,48% da matéria-prima disponível destinaram-se à produção de açúcar até 16 de setembro. Na primeira metade do mês, este percentual atingiu 35,10%, mais de 2 p.p. abaixo da mesma quinzena de 2018 (37,32%).

De acordo com o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua de Rodrigues, “as estatísticas confirmam que a redução da produção de açúcar deve atingir 1 milhão de toneladas pelo Centro-Sul na safra 2019/2020, influenciada principalmente pela retração no estado de São Paulo”. Até 16 de setembro, a moagem no Estado caiu 1,09% comparativamente a 2018/2019, para 255,55 milhões de toneladas; já a fabricação de açúcar diminuiu 5,74%, para 13,80 milhões de toneladas.

Qualidade da matéria-prima

 Na primeira quinzena de setembro, a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) alcançou 154,22 kg por tonelada de cana-de-açúcar, o maior valor observado ao longo do ciclo atual. “Mas mesmo com essa recuperação, o indicador continua sensivelmente aquém ao da safra passada”, comenta o executivo.

No acumulado até 16 de setembro, a concentração de ATR diminuiu 3,23%: 135,19 kg por tonelada de matéria-prima versus 139,70 kg até a mesma data de 2018.

Vendas de etanol

 Nos 15 dias iniciais de setembro, a venda de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somou 1,30 bilhão de litros, queda de 7,90% quando comparada ao mesmo período da última safra. Desse valor, 1,25 bilhão de litros destinaram ao mercado interno e apenas 54,69 milhões de litros para exportação.

O volume de etanol anidro voltado ao mercado doméstico totalizou 336,85 milhões de litros. No caso do etanol hidratado, foram 911,57 milhões de litros, ante 1,02 bilhão de litros na última quinzena de agosto – declínio de 10,63%.

“Essa retração nas vendas é comum para o início de setembro, que tem um dia a menos de comercialização”, explica Rodrigues. Além disso, com o início da safra na região Norte-Nordeste, as transferências de etanol à região pelo Centro-Sul diminuem, acrescenta o executivo.

Confira todos os dados em www.unicadata.com.br

 


Fonte: UNICA