Clipping

Quando optar pelo plantio no sistema de Cantosi ao invés de Meiosi

Postado em 3 de Novembro de 2020

Segundo especialistas, o plantio mais econômico, que oferece melhor custo-benefício é a Meiosi, mas em algumas situações compensa adotar a cantosi

Várias vezes escutasse neste universo canavieiro os termos plantio pelo sistema de Cantosi ou plantio por Meiosi. Cantosi é como se chama os viveiros de cana cultivados em um canto das áreas (cerca de 20% do espaço) que serão reformadas e que se encontram distantes da área de fornecimento de cana-muda. Assim, passa-se a ter muda próximo ao local do plantio comercial. As mudas são plantadas com entrelinhas de 1,50m.  

Já a Meiosi (Método Interrotacional Ocorrendo Simultaneamente) é um conceito criado na década de 1980, mas que caiu em desuso em função da falta de tecnologia que permitisse que o sistema fosse implantado com eficiência. Mas   a evolução da agricultura de precisão permite a implantação eficiente da Meiosi.

No sistema de Meiosi + tolete de cana ou Muda pré-brotada (MPB), planta-se uma ou duas linhas de cana em uma área de reforma de canavial e deixa-se um espaço entre as linhas, que será plantado com alguma cultura de interesse econômico (soja ou amendoim) e/ou agronômico (crotalária). Após a colheita dessa lavoura, as linhas de cana serão cortadas e desdobradas nessa área adjacente. A taxa de multiplicação dependerá do tratamento dado as linhas de cana, da expertise com o sistema e se for com MPB a taxa será maior.

A decisão por implantar a Cantosi ou a Meiosi fica a cargo do interessado, mas especialistas afirmam que, o plantio mais econômico, que oferece melhor custo-benefício é a Meiosi. Oferece maior relação de desdobra, atingido níveis elevados, quando plantado no segundo e terceiro trimestre do ano; possibilita o plantio intercalar de soja e amendoim; disponibiliza áreas de plantio, tornando uma fonte rentável de recurso para pequenos e médios produtores de cana; facilita o rouguing, por ser uma linha distante da outra; tem forte apelo social de distribuição de renda; além de ser mais sustentável, pois se emprega o mínimo de maquinas, com baixa emissão de carbono, pois as mudas estão no local e são colhidas e distribuídas manualmente dentro do sulco.

O pesquisador do Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Mauro Alexandre Xavier, explica que a principal diferença com a Meiosi é que a área de reforma que receberá a desdobra pode ou não estar próxima da Cantosi. “O problema é que ela nunca estará tão perto quanto a do sistema de Meiosi, cujo viveiro se encontra exatamente ao lado das linhas que serão plantadas. Basta colher manual e deitar a cana nas linhas vizinhas.”

É nesse ponto, portanto, que reside a principal desvantagem do sistema: o custo com o transporte para a área de reforma. “Por conta disso, a Meiosi acaba sendo mais viável, pois não haverá custo de logística envolvido no processo.”

“Na Cantosi é possível mecanizar todo o processo, do plantio e colheita das mudas até a desdobra na área de reforma. Porém, fazendo isso, o produtor deve estar ciente de que haverá diminuição das taxas de multiplicação”, alerta Xavier.

Mas não é apenas a mecanização que pode ocasionar essa quebra. Por necessitar de transporte para outras áreas, as gemas das canas colhidas na Cantosi podem acabar sendo danificadas durante o trajeto. Esse fato é ainda mais comum em determinadas variedades, como a RB855156, que possui uma gema saliente; a SP813250, por possuir uma gema bastante grande; e a CTC 9001, que despalha muito.

“Tem que haver muito mais cuidado com o corte e transporte dessa cana. Se fizer de qualquer jeito, haverá problemas. E não estamos falando de grandes pancadas. Qualquer batida mínima irá interferir negativamente na velocidade de brotação dessa gema”, afirma o pesquisador do IAC.

Porém, mesmo com essas desvantagens, a Cantosi pode acabar sendo uma alternativa viável para alguns produtores que, devido a certas impossibilidades, não conseguem fazer a Meiosi em suas áreas.

A irrigação, por exemplo, é um fator preponderante para o sucesso da Meiosi, principalmente forem utilizadas mudas pré-brotadas. Além de uma primeira irrigação de pegamento, as linhas de MPB deverão receber, periodicamente, lâminas de água concentradas. “Caso o produtor não tenha condições de fazer uma irrigação razoável, deve partir para a Cantosi, uma vez que é bem mais fácil irrigar uma área inteira do que linhas separadas”, destaca Xavier.

A falta de tratores munidos de piloto automático e GPS e áreas com topografia acidentada - que impedirão a mecanização das culturas intercalares - também são fatores que podem fazer com que a Cantosi seja uma opção mais viável do que a Meiosi.