Clipping

Rabobank mantém previsão de déficit de 4,2 mi de t na safra global de açúcar

O Rabobank manteve a projeção de déficit de 4,2 milhões de toneladas de açúcar bruto na safra global 2019/2020, de outubro deste ano a setembro do próximo ano. Segundo relatório da instituição financeira com análise do segundo trimestre deste ano, apesar de a estimativa ser mantida sobre a anterior, algumas mudanças em previsões de países produtores foram revistas, com elevação na oferta de União Europeia e redução no Brasil e na Índia.

Maior produtor mundial nas duas últimas safras, a Índia deve ofertar 31,8 milhões de toneladas em 2019/2020, ante 35 milhões de toneladas na atual safra, queda de 9,1%. A estiagem prolongada e a redução no nível de abastecimento em regiões produtoras de cana-de-açúcar daquele país são as principais causas, além dos preços pouco remuneradores, mesmo com o subsídio do governo local.

Para o Centro-Sul brasileiro, a previsão da instituição financeira é que a moagem seja de 575 milhões de toneladas de cana em 2019/2020 (abril a março) e que a produção de açúcar fique em 27 milhões de toneladas, com 36% da cana destinada ao adoçante e 64% ao etanol. O Rabobank, no entanto, alerta que se os preços futuros do açúcar demerara na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) retomarem os 14 cents por libra-peso durante a safra, mais açúcar poderá ser produzido na região brasileira.

Mesmo com uma queda de 6% na área plantada com beterraba açucareira, a produção da cultura na União Europeia deve crescer 12% em 2019/2020 e a oferta de açúcar no bloco é estimada pelo Rabobank em 18,4 milhões de toneladas.

 


Fonte: Broadcast Agro