Clipping

Raízen começa a travar preço do açúcar da safra 2022/23

Postado em 17 de Novembro de 2020

A Raízen Energia, joint venture entre Cosan e Shell, começou a travar os preços de uma parcela do açúcar a ser exportado na safra 2022/23, que começa em abril de 2022, a 64 centavos de real por libra-peso.

Em teleconferência com analistas, gerente de relações com investidores da Cosan, Phillipe Casale, disse que o valor travado para a venda da commodity na safra 2022/23 é "altíssimo".

"O ganho de competitividade do açúcar brasileiro com a desvalorização do real tem gerado excelentes oportunidades. Os preços em reais têm atingido máximas históricas, incentivando a fixação com retornos crescentes para os próximos anos", disse o executivo.

Para a safra atual (2020/21), todo o açúcar a ser exportado já foi fixado a um preço médio de 61,4 centavos de real a libra-peso. Para a próxima safra (2021/22), já foram travados (com hedge) "pouco mais" de 70% do açúcar a ser embarcado, a um valor médio de 65,5 centavos de real a libra-peso.

Segundo Casale, a Raízen Energia terá uma estratégia de comercialização de produtos nesta safra com "mais equilíbrio entre os trimestres".

No segundo trimestre da atual safra, a Raízen Energia teve um lucro líquido de R$ 13,1 milhões. A receita líquida da companhia totalizou R$ 7,3 bilhões, queda de quase 5% na comparçaão anual.

 


Fonte: Valor Econômico