Clipping

Recuperação do setor sucroenergético vai engordar a geração de empregos

Postado em 4 de Dezembro de 2019

Maior demanda, maior produção, mais investimentos, mais empregos, são as expectativas para a agroindústria sucroenergética em 2020

Atualmente, as 370 unidades sucroenergéticas em funcionamento no país geram em torno de 800 mil empregos diretos, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo (USP). Ao contar os empregos indiretos (empresas fornecedoras de produtos e serviços para o setor), esse número beira a um milhão de vagas de trabalho geradas pela cana-de-açúcar.

A expectativa de recuperação do setor cria a expectativa de que haverá mais investimentos e até o retorno de usinas paradas. Isso, levará o setor a contratar mais funcionários, para reforçar ou formar equipes. O que impacta positivamente os mais de 1 mil municípios canavieiros espalhados pelo país. Um diferencial do setor sucroenergético para os demais setores do agro é a alta taxa de carteira de trabalho assinada, 95%. Já na agroindústria como um todo, esse percentual só chega a 58%

Além dos empregos diretos, ao aumentar as aquisições de produtos e serviços, a cana-de-açúcar move a roda de contratação da agroindústria canavieira. Engordando a geração de emprego de forma indireta, ao levar empresas a contratar mão de obra para atender a demanda do setor, que será crescente na próxima década.

No entanto, o setor sucroenergético está cada vez mais tecnificado, exigindo profissionais especializados e qualificados. Então, para conquistar uma vaga nesse cenário promissor da cana-de-açúcar, não perca tempo, estude, qualificasse, se especialize, seja para operar uma máquina, até administrar a empresa.

 


Fonte: CanaOnline