Clipping

Relação etanol/gasolina em SP avança a 67,80% em outubro, mostra Fipe

A relação entre os preços do etanol e os da gasolina na capital paulista acelerou de setembro (67,38%) para outubro (67,80%), mas ainda ficou menor que o apurado no décimo mês de 2016 (73,48%), segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).
 
Conforme Moacir Mokem Yabiku, gerente técnico de pesquisa da Fipe, a tendência é que a relação entre os preços dos combustíveis prossiga em aceleração, em virtude da aproximação do período de entressafra. Contudo, ainda acredita que a marca pode ficar aquém de 70%.
 
Para especialistas, o uso do etanol deixa de ser vantajoso quando o preço do derivado da cana-de-açúcar representa mais de 70% do valor da gasolina. A vantagem é calculada considerando que o poder calorífico do etanol é de 70% do poder do combustível fóssil.
 
Com a relação entre 70% e 70,5%, é considerada indiferente a utilização de gasolina ou etanol no tanque. Neste ano, a última vez que essa equivalência ficou na faixa de 70% em SP foi em abril (71,01%).
 
Na capital paulista, os preços do etanol ficaram mais elevados em relação aos da gasolina em outubro. No Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe, que mede a taxa de inflação na cidade, o álcool combustível apresentou variação positiva de 1,50% (de 1,49%), enquanto a gasolina desacelerou a alta para 0,83%, depois de 2,70% em setembro. O grupo Transportes, por sua vez, atingiu 0,32% no décimo mês do ano em relação à taxa de 0,65% em setembro.
 
Já o IPC ficou em 0,32%, superando o teto das expectativas da pesquisa do Projeções Broadcast, de 0,30%. A menor estimativa era de 0,22% e a mediana, de 0,30%. Porém, o resultado veio como o esperado pela Fipe.


Fonte: Estadão Conteúdo