Clipping

São Martinho encerra safra 2020/21 com moagem de cana 2,9% abaixo do esperado

Postado em 3 de Dezembro de 2020

A São Martinho informou na noite desta quarta-feira, 2, que encerrou a moagem de cana da safra 2020/21 com 2,9% menos matéria-prima processada do que o esperado. Foram processadas 22,522 milhões de toneladas, ante 23,200 milhões de toneladas projetadas inicialmente. A quebra explica-se pelo clima mais seco registrado ao longo da temporada nas áreas produtoras.

Em contrapartida, a falta de chuvas fez a concentração de sacarose nas plantas superar as expectativas, o que compensou a menor quantidade de cana. Em termos relativos, a quantidade de açúcares totais recuperáveis (ATR) ficou em 145,7 quilos por tonelada de cana moída, ante expectativa inicial de 138 quilos por tonelada. Dessa forma, o ATR total da companhia na safra alcançou 3,282 milhões de toneladas, 2,3% a mais que o esperado.

Enquanto a maior parte do setor maximizou a produção de açúcar por causa das condições de mercado, a São Martinho apresentou um mix marginalmente menos açucareiro do que o inicialmente projetado. Da cana processada, 47% foi destinada à fabricação da commodity, ante 48% esperado anteriormente.

Com isso, a produção de açúcar alcançou 1,483 milhão de toneladas, 0,5% abaixo da estimativa inicial. Em contrapartida, a produção de etanol superou o projetado inicialmente em 5% e totalizou 1,018 bilhão de litros.

Por fim, a energia cogerada foi 2,7% menor do que o esperado, em linha com a menor quantidade de cana processada. Foram cogerados 900 mil megawatts-hora (MWh) na safra.

A São Martinho também informou que, desde o fechamento do balanço do 2º trimestre, em setembro, até novembro, produziu 146 mil toneladas de açúcar e 140 milhões de litros de etanol. Somando-se aos produtos que estavam em estoque no fim do último trimestre, o volume de produto disponível para venda nos trimestres seguintes alcança 710 mil toneladas de açúcar e 667 milhões de litros de etanol.

 


Fonte: Valor Econômico