Clipping

Se chuvas voltarem Canoeste vê efeito só na cana de fim de safra; colheita de produtores/usinas de meio de abril em diante

Postado em 29 de Janeiro de 2019

A expectativa é que a safra de cana-de-açúcar 2019/20 tenha uma perda de produtividade no município de Sertãozinho/SP. Tendo em vista, que um dos fatores que podem comprometer essa safra são as condições climáticas adversas atuais.

De acordo com o presidente da Canoeste, Manoel Ortolan, os canaviais estão bastante debilitados devido à taxa de renovação. "Já um canavial envelhecido que está passando um ano como este que está com um estresse hídrico bem acentuado. Evidentemente, que um canavial mais velho acaba sendo afetado com pragas e controle de ervas", afirma.

A localidade estava recebendo precipitações pontuais, porém esses volumes não resolvem os problemas das lavouras. "Neste sábado, o estado de São Paulo teve uma chuva geral e pelo o que eu tenho visto a maioria dos locais registraram volumes acima de 20 mm", relata.

A liderança acredita que na próxima safra os canaviais podem ter problemas com produtividade se as chuvas não se regularizarem. "Essas chuvas vão ser importantes para as canas de final de safra que foram cortadas recentemente e as que estão iniciando o desenvolvimento, pois vão ser cortadas no próximo final de safra e pode estar dentro da normalidade se o clima contribuir", ressalta.

A cooperativa realizou um levantamento das duas últimas safras em que foram registrados 250 mm a menos na média histórica. "Em vez de termos 1.600 mm a 1.500 mm, nós tivemos apenas uma média de 1.250 mm nos últimos dois anos. É uma chuva que acaba fazendo falta para os canaviais", aponta.

 

Por Giovanni Lorenzon e Andressa Simão

 

 

 


Fonte: Notícias Agrícolas