Clipping

Setor sucroalcooleiro apresenta avanços e gargalos do setor ao Governo

No encontro, o presidente do Sindalcool apresentou dados da representatividade do setor para a economia Estadual

Representantes do setor sucroalcooleiro de Mato Grosso estiveram reunidos na última semana com os secretários chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e de Desenvolvimento Econômico, Cesar Miranda, além do Deputado Dilmar Dal Bosco, Líder do Governo na Assembleia Legislativa, para apresentar os avanços e demandas do setor. O presidente do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado de Mato Grosso – SINDALCOOL/MT, Silvio Cezar Pereira Rangel, apresentou dados que demonstram a representatividade do setor para a economia do Estado.

O otimismo sobre a produção de etanol deve-se a matéria prima em abundância, com o advento do biocombustível produzido a partir do milho. Maior produtor nacional do grão, com uma produção que só cresce, o estado conta, atualmente, com 11 unidades produtoras de etanol, e mais três apenas de etanol de milho para entrar em operação até 2020.

Durante a reunião, Silvio Rangel apresentou dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que demonstram não somente a evolução do setor, como também os gargalos que emperram o crescimento.

A falta de logística é hoje um dos grandes problemas que impede os produtos do Estado de chegar aos demais mercados com preço competitivo, pois as rodovias estão incapacitadas de atender às novas e crescentes demandas do aumento expressivo da produção. “São urgentes os investimentos em logística no estado e no Brasil como um todo, considerados os investimentos em produção em andamento. É necessário valorizar o produto e produtor local, possibilitando o fluxo adequado desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto final de consumo”, pontuou.
Para o diretor executivo do Sindalcool, Jorge dos Santos, esse é um problema que este ano deve impactar ainda mais o setor, uma vez que aumentará a produção estimada para 2019. “Mesmo com o consumo interno aumentando graças à qualidade e preço do etanol produzido aqui, teremos ainda que exportar mais de 1 bilhão de litros de Mato Grosso. Além da precariedade de nossas estradas, enfrentamos um alto custo no frete que chega a 17% do valor do produto”.

Durante a reunião, também foi reiterada a necessidade do estudo de implantação do etanolduto. No início do ano, o Sindalcool-MT, juntamente com a diretoria da Logum Logística estiveram reunidos com o governador Mauro Mendes, para tratar da implantação da infraestrutura dutoviária para transporte de etanol de Mato Grosso até Paulínia (SP). O objeto é que o duto se estenda de Senador Canedo até Mato Grosso.

A distância de Senador Canedo até Cuiabá, por exemplo, é de 920 km. “É urgente a necessidade de resolvermos a questão logística para escoamento da produção de etanol de Mato Grosso. Não há dúvidas que Mato Grosso pode se tornar o maior produtor mundial de etanol, a única coisa que pode impedir isto de acontecer é a questão logística”, aponta o presidente do Sindalcool-MT, Silvio Cezar Pereira Rangel.

Segundo o secretário Mauro Carvalho, as demandas apresentadas serão encaminhadas ao governador para que sejam encontradas soluções principalmente no tocante à logística. Também participou da reunião o presidente da União Nacional do Etanol de Milho, Ricardo Tomczyk.

 

 

 


Fonte: Portal O Livre