Clipping

Soja é opção para recuperar solo de canavial no Noroeste de São Paulo

Muitas empresas brasileiras de açúcar e etanol ainda passam por uma situação financeira difícil, uma vez que grandes dívidas limitam investimentos que poderiam melhorar sua renda, disseram usinas e consultorias nesta segunda-feira... - Veja mais em https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2017/04/24/maioria-das-usinas-brasileiras-de-cana-ainda-enfrentam-dificuldades-financeiras.htm?cmpid=copiaecola
Grão tem substituído amendoim, antes usado pelos agricultores para equilibrar reservas de minerais do solo. Prática diminui tempo de espera até novo plantio da cana.

O Noroeste de São Paulo responde por quase 20% de toda a cana do Brasil. A área cultivada ocupa mais de 1 milhão de hectares. Roney Cabreira planta cana no município de Novais. Todo ano, depois da colheita, ele separa 25% da área para fazer a chamada reforma do canavial, conhecida também por rotatividade de cultura.
Ela é importante para recuperar o solo após um longo período de desgaste com a plantação de uma mesma lavoura, o que causa um desequilíbrio nas reservas de minerais.
O amendoim tem sido ao longo do tempo a escolha de muitos agricultores pra reformar o canavial. Mas pesquisas feitas pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), mostram que o plantio direto da soja sobre a palha da cana traz vários resultados positivos para o solo.

No cultivo direto da soja, é possível diminuir o tempo de espera até o novo plantio da cana. Com o amendoim, são necessários quase cinco meses do plantio à colheita. Já na soja, o tempo é de pouco mais de três meses.
Luiz Antônio Canônico Júnior foi um dos primeiros agricultores da região Noroeste a fazer esse tipo de plantio. Ele tá indo para o terceiro ano e diz que não se arrepende. O agricultor destaca que trabalhar dessa forma permite rapidez no plantio e um aproveitamento melhor da umidade do solo.
 

Fonte: Portal G1