Clipping

Toda a produção da semente artificial de cana Emerald para 2020, já foi comercializada

Postado em 28 de Novembro de 2019

O volume cobre uma área de 1 mil hectares, parte do plantio será de janeiro a abril e o restante entre outubro a dezembro

Em um evento realizado pela Syngenta em junho de 2019 e que reuniu seus clientes do setor sucroenergético, foi promovida uma campanha de pré-venda do Emerald – semente artificial de cana desenvolvida pela empresa –, onde as usinas foram convidadas a adotarem as primeiras áreas comerciais para 2020.

“Foi comercializado todo o volume que teremos disponível no ano que vem, o que cobre em torno de 1000 hectares. As usinas que compraram representam 80% da moagem do setor nacional. Vamos entregar um conjunto (plantadora + trator + sementes) para as primeiras vendas. E as usinas realizarão a operação. Parte do plantio será de janeiro a abril. Depois, complementaremos o plantio na segunda janela de outubro a dezembro. Convidaremos as usinas a fazer investimento em plantadora (que já está pronta para venda), a se prepararem dentro de seus processos de aquisição de ativos para criarem estrutura própria, para terem autonomia para empreenderem uma escala maior”, diz Leandro Amaral, diretor Unidade de Negócios Cana – Syngenta Seeds.

A partir de abril de 2020, serão realizadas várias colheitas de canaviais plantados com o Emerald, parte dos 21 campos de demonstração implantados neste ano de 2019. “As áreas que estão previstas para colheita a partir de abril estão com excelente desenvolvimento. Nossa expectativa é conseguir replicar nesses 1000 hectares que plantaremos em 2020, o mesmo desempenho das áreas de demonstração”, diz Amaral.

De acordo com Amaral, a produção do Emerald seguirá a demanda do setor. “Conforme a demanda, vamos nos preparando para atendê-la. Itápolis é o centro de excelência do Emerald. Quando chegar em sua capacidade máxima, começaremos a desenvolver plantas regionais próximas dos consumidores. E aí, poderemos criar parcerias estratégicas com grupos de usinas e produtores para desenvolver mercado local.”

Para solicitar o Emerald precisa ser com antecedência. “Trabalharemos com o conceito de venda antecipada. Nosso ciclo de produção é teoricamente longo, por isso, será necessário fazer o pedido com certo tempo de antecedência para organizarmos nossa cadeia de produção”, alerta Amaral. Em relação às variedades disponibilizadas pelo Emerald, os 1000 hectares que serão plantados em 2020, serão com quatro variedades, que somadas são, atualmente, as mais plantadas, cobrindo de 30% a 50% do plantio da região Centro-Sul. “Estamos bem na questão de variedades. No futuro teremos um portfólio que cobre até 80% do plantio do Centro-Sul.”

Não é intenção da Syngenta que o Emerald passe a responder por 100% do plantio de cana. Amaral afirma que, mesmo com a entrada em larga escala do Emerald e todas as suas vantagens, ainda continuará tendo espaço para o plantio mecânico, semi-mecânico, manual, com tolete, com muda pré-brotada, em meiosi e cantosi. Cada um escolherá o método, ou métodos que melhor o atenda.

 


Fonte: CanaOnline