Clipping

Toyota quer desenvolver híbrido com etanol

A Toyota hoje celebra seis décadas de estrada em solo brasileiro. E, há 57 anos, inaugurava fábrica em São Bernardo, a primeira da marca fora do Japão. Foi nessa planta que, entre 1962 e 2001, foram confeccionados mais de 100 mil exemplares do icônico Bandeirante. A agora sexagenária vem realizando estudos para desenvolver modelo de veículo híbrido movido a etanol – hoje apenas a gasolina abastece os automóveis que andam também com eletricidade.

“Esses testes envolvem parcerias com universidades paulistas para fomentar não somente seu desenvolvimento, como, também, seu rico potencial como fonte de pesquisa para futuras gerações, a fim de incentivar o aprimoramento técnico dos profissionais do futuro”, assinala Anderson Suzuki, gerente geral de comunicação da Toyota do Brasil. Ele ressalta, porém, que o incentivo fiscal aguardado pelo governo, por meio do Rota 2030 – cujos detalhes devem ser anunciados em fevereiro –, para veículos híbridos e elétricos é importante passo para colocar o Brasil na mesma rota de países mais avançados neste quesito.

A montadora está negociando com a matriz a possibilidade de abrir terceiro turno em Sorocaba, onde é produzido o Etios – desenhado em São Bernardo –, o que, provavelmente, geraria reflexos positivos para a planta da região, de onde saem componentes que equipam os motores do Etios, do Corolla e do Camry – produzidos nos Estados Unidos; peças para o Corolla, fabricado em Indaiatuba (Interior), e para a Hilux, na Argentina. “Ainda não existe prazo para isso ocorrer, mas a decisão poderá ser tomada ainda no primeiro semestre”, afirma. A montadora emprega hoje 1.433 funcionários na região.

Em 2015, a Toyota anunciou o programa São Bernardo ReBorn, que revitalizou a unidade do Grande ABC, com aporte de R$ 70 milhões. Naquele ano, a sede administrativa foi transferida para a região. Em 2016, foi inaugurado o Centro de Pesquisa Aplicada, que contempla o centro de design de produto. No ano passado, foi lançado o Centro de Visitas, que funcionará como um museu da marca e, na semana que vem, abrirá as portas para lista de espera de pedidos universitários. No fim de fevereiro, a iniciativa fará parte do Programa Turismo Industrial de São Bernardo. E, até o início do segundo semestre, segundo Suzuki, serão abertas inscrições ao público em geral. 


Fonte: Diário do Grande ABC