Clipping

Transporte de açúcar ficou mais caro

Postado em 4 de Setembro de 2020

O forte ritmo das exportações de açúcar pelas usinas brasileiras neste ano, que cresceram 57% no primeiro semestre ante o mesmo período de 2019, fez os preços de transporte da commodity dispararem em todas a rotas acessadas.

Conforme pesquisa da EsalqLog, para uma faixa de distância de 100 a 200 quilômetros, o valor do frete subiu 40,4% nesta comparação, para R$ 0,39 a tonelada por quilômetro, em média. Nas rotas entre 200 e 300 quilômetros, o aumento foi de 31,9%, e nas de 300 a 400 quilômetros, chegou a 26,6% (ver infográfico).

"O transporte de açúcar concorreu com o de grãos, que foram escoados por vários meses diante da alta demanda", afirma o pesquisador Rodrigo de Moraes Santos, acrescentando que a procura internacional pelo açúcar brasileiro também foi bem maior.

Por outro lado, com as usinas focadas em açúcar e com a retração de uso do etanol no Brasil diante da pandemia da covid-19, o frete para o transporte do biocombustível caiu.

Conforme a EsalqLog, das principais usinas do Centro-Sul para a base de distribuição de Guarulhos (SP), a queda foi de 10% no primeiro semestre ante o mesmo período de 2019, para R$ 0,14 a tonelada por quilômetro. Para Senador Canedo (GO), o recuo foi de 16,8%, para R$ 0,24 a tonelada por quilômetro; e para São Paulo, de 9,1%, para a média de R$ 0,19 a tonelada por quilômetro.

"No início do ano, esperava-se que o etanol fosse mais competitivo que o açúcar, mas as entregas entre março e julho caíram 33% com a pandemia. E não devem retomar aos patamares convencionais tão cedo", diz Santos.

 


Fonte: Valor Econômico Texto extraído do boletim SCA