Clipping

Triângulo Mineiro vai ganhar laboratórios para pesquisas em bioenergia e manejo de pragas

Postado em 3 de Março de 2021

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), firmou, na última sexta-feira (26), um acordo de cooperação técnica e científica com a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

O objetivo da parceria é unir esforços para realizar atividades relacionadas à pesquisa científica da Epamig e para o desenvolvimento tecnológico dos programas de pós-graduação da UFTM.

O acordo foi assinado pela presidente da Epamig, Nilda Soares, e pelo pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação substituto da UFTM, Thiago Henrique Corrêa. De acordo com o texto, a Epamig e a UFTM vão alocar mão de obra técnica especializada e de apoio, estudantes, professores e pesquisadores para execução de trabalhos. As duas instituições vão disponibilizar, juntas, infraestrutura, laboratórios, equipamentos, máquinas, implementos e veículos.

Além disso, a parceria vai possibilitar a participação de professores e estudantes da UFTM em pesquisas desenvolvidas pela Epamig, concessão de bolsas de iniciação científica, produção conjunta de livros e artigos, estágios e transferências de tecnologias. O acordo tem vigência de cinco anos e pode ser prorrogado ou alterado por meio de termo aditivo.

Primeiros passos – De acordo com Thiago Henrique Corrêa, uma das primeiras ações da parceria é a criação de dois laboratórios, um para pesquisas com bioenergia (LaBen) e outro voltado para biologia evolutiva e manejo de pragas (LaBEMP).

“É importante observar que, devido à relevância produtiva do Triângulo Mineiro, esses laboratórios vão ao encontro das necessidades da região, como o uso racional de recursos naturais, o estudo do impacto de intervenções ecológicas e o reaproveitamento de resíduos”, enfatizou Corrêa.

Segundo o chefe da Epamig Oeste, Fernando Franco, a assinatura do acordo vai facilitar a entrada da universidade no Campo Experimental Getúlio Vargas, em Uberaba (MG).

“Gostaria de destacar dois pontos. O primeiro diz respeito à otimização de recursos públicos, pois vamos abrigar laboratórios que farão parte de uma unidade mista de pesquisa e transferência de tecnologia. O segundo ponto diz respeito ao ganho intelectual e ao impulsionamento do desenvolvimento científico para a Epamig e para a UFTM nas áreas de entomologia e energias renováveis.

Tudo isso sem falar nas possibilidades que nossos pesquisadores terão nos programas de ensino da UFTM”, destaca Franco.


Fonte: Diário do Comércio - Com informações da Epamig