Clipping

Usina Guaíra espera uma quebra na produção de 13% na safra 2021/22

Postado em 18 de Fevereiro de 2021

Estiagem de 2020 deverá impactar severamente os canaviais de início de safra. Companhia aposta nos canaviais de meio e fim de ciclo para tentar diminuir o prejuízo

A severa estiagem que assolou as regiões canavieiras do Centro-Sul do país em 2020 impactou os números finais da safra 2020/21 na Usina Açucareira Guaíra, localizada no município paulista de Guaíra. A expectativa inicial era de uma moagem de 3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, com uma produtividade agrícola (TCH) de 94,26 ton/ha. Ao final do ciclo, foi apurada uma moagem de 2.95 milhões de toneladas e um TCH de 92,76 ton/ha. O ATR, no entanto, figurou acima das expectativas iniciais, fechando em 149 kg/ton.

De acordo com o diretor agrícola da companhia, Gustavo Villa Gomes, 2020 foi um ano muito bom no quesito colheitabilidade, uma vez que a seca permitiu uma colheita quase ininterrupta. Por outro lado, as canas de final de safra sofreram demasiadamente com a falta de chuvas e acabaram perdendo produtividade. “A pluviosidade média em nossa região é de aproximadamente 1.300mm. Desde o início da safra passada até meados de fevereiro, choveu apenas 968mm. Esse fato acabou ocasionado uma quebra na produção em relação às nossas previsões iniciais.”

Para a próxima safra - que terá início em 19 de abril na unidade - as expectativas não são nada positivas. A seca do ano passado seguirá causando prejuízos aos canaviais, principalmente àqueles que serão colhidos no começo do ciclo. “Essa é uma perda que não conseguiremos reverter. Estamos apostando nossas fichas nas canas de meio e final de safra para tentar diminuir a quebra na produção, que pode chegar a 13% quando comparada aos números finais da safra passada.” No momento, a usina Guaíra prevê uma moagem de 2.6 milhões de toneladas para 2021/22, com um TCH médio de 82 ton/ha.

Por Leonardo Ruiz

 


Fonte: CanaOnline