Clipping

Usinas suspendem vendas de etanol

O presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos, afirmou ontem que as 34 usinas mineiras suspenderam a comercialização de etanol e enfrentam dificuldades para o escoamento do açúcar por causa da paralisação nacional de caminhoneiros. Além disso, as companhias - a maioria delas no entorno do Triângulo Mineiro - enfrentam uma série de dificuldades de operação devido à falta de diesel utilizado na colheita, carregamento e transporte de cana, e pelos bloqueios em rodovias.

“Os estoques de diesel estão no final, as operações industriais foram reduzidas e outros insumos utilizados na produção não estão sendo fornecidos. Em algumas unidades, a cana tem dificuldade de chegar para a moagem por conta de bloqueios e em outras até mesmo funcionários não conseguem se locomover ao trabalho”, disse Campos.

O executivo está em Belo Horizonte e relatou “filas imensas” para o abastecimento em postos de combustíveis “ainda abertos” na capital mineira. “Em alguns municípios pequenos já há problemas de falta de combustível para abastecer ambulâncias. A situação beira um colapso e esperamos uma solução”, concluiu o presidente do Siamig.

Brasil - A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) informou ontem, em nota, que as exportações brasileiras de açúcar e etanol e a produção de cana foram afetadas pela paralisação dos caminhoneiros. Segundo a principal associação de usinas do setor, embarques dos produtos são feitos utilizando estoques de terminais portuários, que “estão com níveis já perto do zero, fazendo com que navios nomeados fiquem esperando para atracar no porto de Santos”, informou.

“Caso não seja restabelecida a normalidade no abastecimento, todos os embarques de açúcar e etanol serão paralisados”, completou a Unica.

A Unica informou que dez usinas em São Paulo suspenderam a moagem da cana-de-açúcar e o comércio dos produtos. A suspensão ocorre por falta de diesel para o abastecimento de máquinas, bloqueios de caminhões que transportam a matéria-prima das lavouras para as usinas e também pela falta de veículos para a retirada do biocombustível e do açúcar para a comercialização.

“Até o transporte ferroviário apresenta dificuldades, visto que muitos dos seus equipamentos utilizam diesel. Do lado da produção de cana, a falta de diesel também tem impactado a continuidade da colheita”, relatou a Unica.

Além das usinas paradas em São Paulo, a Unica confirmou a informação divulgada Siamig de que as 34 usinas mineiras suspenderam as vendas de etanol. No Paraná, três unidades reduziram suas operações de produção.


Fonte: Diário do Comércio