Clipping

Usinas usarão toda sua flexibilidade na safra 21/22 para superar os impactos do clima e da covid-19

Postado em 1 de Abril de 2021

O setor sucroenergético, essencial para a sociedade como produtor de alimentos, o açúcar, combustível, etanol, e energia elétrica, inicia hoje mais uma safra de cana-de-açúcar (21/22). Com resiliência e confiança em Deus, o setor em Minas Gerais mantém o firme propósito de continuar funcionando e ofertar seus produtos para o Brasil e mundo. Não se furta, também, do seu papel social de contribuir para a prevenção e o combate ao covid-19, auxiliando naquilo que for possível, principalmente, nos municípios de atuação do setor no estado.

O presidente da SIAMIG, Mário Campos, informa que a safra de cana-de-açúcar 21/22 em Minas Gerais será menor que o ano passado, devido ao déficit hídrico em 2020, identificado também no mês de março deste ano. “Porém, se chover em abril, poderá ocorrer uma recuperação para a cana colhida na segunda parte da safra, a partir do mês de agosto”.

Alguns investimentos foram feitos na expansão da capacidade de produção de açúcar e a expectativa é de que seja mais um ano açucareiro, podendo o mix ultrapassar a marca de 50%.

O etanol, segundo Mário Campos, está sofrendo atualmente o impacto de um novo e prolongado período de isolamento social. Somado à redução da renda do brasileiro, o mercado interno de combustíveis, de modo geral, poderá enfrentar sérias dificuldades. A expectativa é de que as usinas usem toda flexibilidade de fábrica, a fim de se ter uma oferta de etanol condizente com o tamanho do mercado interno.

 


Fonte: Gerência Comunicação SIAMIG