Clipping

Venda da Usina São Fernando se arrasta e canaviais se degradam

Produtores com áreas arrendadas para a usina não podem retomar as terras, mesmo com a falência da usina decretada

A Usina São Fernando, localizada em Dourados, MS – pertencente à massa falida que era da família de José Carlos Bumlai, implicado na Lava Jato – teve a falência decretada em junho do 2017. Na época, o juiz Jonas Hass afastou os dois filhos de Bumlai que cuidavam da indústria e entregou a administração da massa falida para o escritório VCP (Vinícius Coutinho Consultoria e Perícia), de Campo Grande, que já estava à frente da indústria por decisão judicial antes mesmo da falência.

A São Fernando já passou, em 2017, por uma tentativa de leilão sem sucesso e em 22 de fevereiro foi a leilão novamente. Recebeu apenas uma proposta de compra, apresentada pela empresa Pedra Angular Açúcar e Álcool Participações e Administração, que propôs comprar a usina por R$ 825 milhões a serem pagos em 20 anos, com correção de 1% ao ano a partir da sexta parcela. A proposta não agradou aos credores e é considerada “vil” pela lei, já que em valores atuais – descontando a inflação ao longo de 20 anos – a oferta seria de R$ 250 milhões.Por lei, o valor mínimo não pode ser inferior a 50% da avaliação do bem. Como o ativo foi avaliado em R$ 716 milhões, a proposta em valor atual deveria ser de R$ 356 milhões.

Os credores também não se sentem seguros em relação à Pedra Angular Açúcar e Álcool Participações e Administração, em atividade há menos de três meses e com sede a sala 26 do edifício Empire Center, na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande, a Pedra Angular tem como sócios o empresário Rodrigo Caldas de Toledo Aguiar, de São Paulo (SP), e o advogado sul-mato-grossense Sérgio Adilson de Cicco, morador na Capital.O Juiz de Dourados decretou que os credores têm o prazo de 15 dias úteis,a contar de 22 de fevereiro, para se manifestarem sobre a proposta de compra.

Muitos produtores rurais estão com suas terras presas a São Fernando (a validade só se encerra quando chega a data estipulada no contrato, mesmo no caso de falência), e, por falta de investimentos em tratos culturais, veem os canaviais se degradando e a produtividade despencando. O desejo de muitos dos que têm terras arrendadas para a São Fernando, é que a empresa fosse adquirida pela Usina Fátima do Sul que, segundo eles, apresenta uma gestão séria e competente.


Fonte: CanaOnline