Clipping

Vespas como aliadas no controle de pragas agrícolas

Postado em 24 de Janeiro de 2020

Espécies comuns de vespas podem ser valiosas no manejo sustentável de pragas agrícolas, entre elas a broca-da-cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis) e a lagarta Spodoptera frugiperda, que ataca principalmente plantações de milho.

Resultados de um experimento controlado mostraram que a presença de vespas na lavoura reduz efetivamente as populações dessas duas espécies de pragas e também o dano às plantas. O estudo foi realizado por pesquisadores da University College London (Reino Unido), da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FFCLRP-USP) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Jaboticabal. Os dados foram publicados na revista Proceedings of The Royal Society B.

A pesquisa recebeu apoio da FAPESP e do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido, no âmbito de um acordo da Fundação com o British Council e Newton Fund.

Os autores lembram que as vespas são encontradas em todo o mundo e podem ser usadas facilmente em pequena ou grande escala para controlar uma série de pragas comuns. “Vespas são muito comuns, mas pouco estudadas. Com esta pesquisa, fornecemos evidências importantes de seu valor econômico como controladoras de pragas”, disse o autor principal do estudo, Robin Southon, da University College London.

O experimento foi o primeiro do gênero realizado em condições controladas e ao ar livre. Foi usado milho infestado pela Spodoptera frugiperda, popularmente conhecida como verme do exército, e cana-de-açúcar contendo Diatraea saccharalis. A eficiência de algumas espécies de vespas nas culturas e na dieta de lagartas já havia sido demonstrada, explicaram os pesquisadores, “mas sem o controle minucioso feito nesta pesquisa, com infestação controlada dentro e fora da planta”.

A parte experimental do estudo foi feita em Ribeirão Preto, conta o professor da FFCLRP-USP Fábio Nascimento, e realizada em estufa, com a inserção de vasos com as plantas; primeiro, de cana-de-açúcar e depois de milho, já infestados com as larvas das pragas de forma aleatória, e de outras duas maneiras: externamente e internamente na planta. Na estufa estavam os ninhos com as vespas comuns, denominadas Polistes satan. “As vespas mostraram eficiência acima do que esperávamos nas duas culturas – 90% e 100% sobre as lagartas expostas nas folhas, e 40% e 60% sobre as lagartas abrigadas dentro da cana e do milho”, disse Nascimento.

O pesquisador brasileiro comemora os resultados: “Diferentemente do que se pensava, elas são capazes de encontrar as lagartas entre as junções das folhas das plantas. Assim, a eficiência delas como controladoras é significativa.”

 


Fonte: Grupo Cultivar